"O que mudou em você em 1 ano?"

16 de maio de 2017

Reprodução: Stocksnap
Comentários insignificantes serão deletados e o dono leva block #pas

Olár humanos, como cês tão? Era para eu ter feito esse post quando teve o tema lá na Blogagem Coletiva do BLOGS UP — que agora é um grupo secreto então caso queiram entrar lá (acho que) tem que pedir pra Liz na fanpage deles — mas por vias de procrastinação ou até desânimo, acabei não fazendo nada e fiquei estagnada no tempo. Antes tarde do que nunca. Bom, quem me acompanha nas redes sociais certamente percebeu que tenho um humor bem ácido quanto aos problemas da vida e que nem sempre consigo aceitar as cores que o mundo proporciona. Tentei mudar isso mas well, isso fica para outra postagem. Porém nem tudo por aqui é só hello darkness my old friend, a vida real nos força a encarar os problemas de uma forma tão desumana que isso, meus amigos e amigas, é uma das coisas que mais detesto na fase adulta.
Eu jurei que ia mudar em 2015, na verdade, e eu sinto que muita coisa mudou em mim de 2016 para 2017. Não pensem que foi fácil editar esse post porque não foi mas ele foi necessário para tirar um sapo da minha garganta, então tá mais para um desabafo, até porque meus amigos estão cansados de ouvir meu blá blá blá né, hehe. Não é fácil para mim aceitar que mudei, pode parecer besteira já que muita das coisas listadas abaixo deveria ser mais que obrigação minha mas... Mas nem tudo consegue de adaptar muito bem no ciclo mesquinho da vida humana. Eu me sinto assim, a batalha que travei comigo mesma para mudar o que muitos chamam de birra de filhinha de papai — agradeçam aos que viviam me chamando de mimada por isso ficar na mente até  hoje — foi tanta que eu sentia que podia surtar a qualquer momento. Tomei um pouco de ar, botei a cara no sol e falei: "Priscila, ou você muda essa carcaça de gárgula repugnante que você é ou ficará louca" e goddamn, que negócio difícil foi aceitar que terei que ouvir nãos, talvezes, quem sabe e até "saia de perto".
Pode ser entendiante para vocês mas eu precisava registrar isso aqui no blog, a única forma que me sinto confortável sem ser com áudios de 30min é escrevendo então para mim está sendo uma ajuda bem colossal. Detalhe: levei quase 1 fodendo mês para terminar isso aqui, sendo que era pra ter sido liberado em Março, mas né, bloqueio criativo combinado com procrastinação e decepções com amizade resulta nisso, afinal amizade de infância não é para sempre. But, vamos lá.

Primeiramente, vamos a um hino com a banda que mais demite as vocalistas, Nightwish.



PACIÊNCIA


Esperar pelo que quer que seja nunca foi meu forte. Sempre fui impaciente, tanto que viviam falando que tinha o pavio curto porém pavio curto é diferente de querer tudo feito na hora. Olhando para mim agora comparada com o meu eu de antigamente, me sinto como se euzinha fosse uma espécie de Kilgrave com controle de mentes de tanto que eu irritava o pessoal. Era aquilo que chamamos de sentir o poder e o controle em mãos, sabe? Mas então, num belo dia, resolvi cuidar da minha sobrinha enquanto minha irmã trabalhava e percebi que eu tinha que acalmar essa minha alteração toda. Percebi isso no modo como estava tratando todos os assuntos que vinham até minha pessoa, desde as pessoas que converso no twitter até as que me procuram precisando de ajuda. A Antiga Priscila iria perder a paciência na hora mas a atual não, a atual aprendeu a respirar fundo, permitiu-se um tempo para analisar e por fim conseguiu balancear o caos . A solução: paciência. Eu ajudar? Antigamente? Nem fodendo lascando. Agora? Estou aqui para ver o que posso fazer. Ah, as mudanças...

CONVERSAR É A MELHOR SOLUÇÃO


Gente que guarda tudo ao invés de falar e depois se sente mal por ter desperdiçado uma chance de falar o que quer que seja: euzinha. Demorei muito para aprender que conversar é a melhor solução. E precisei de tempo para me acostumar a ouvir minha voz sobressaltar as dos outros em uma conversa que esteja incomodando. E porra caramba, isso é bom demais! Quantas brigas evitei só por sentar e dialogar com a pessoa. Isso também meio que fez parte de uma promessa que fiz para mim no dia 20 de dezembro aka meu aniversário: maneirar na Arte da Treta. Venho trabalhoando nisso desde 2015 e sinto que agora tenho essa espécie de monstro sob controle. Uma música para isso: FREAK ON A LEASH do KORN. Tem momentos que é mil vezes soltar um foda-se e deixar a situação rolar sozinha, afinal, não sou a salvadora do mundo. Eu mereço não me preocupar com nada. Eu mereço ficar o Bilbo dormir sem me preocupar com nada. Não sou o Oliver Queen. Não sou o Bruce Wayne. Sou só a Priscila.

DIZER NÃO TAMBÉM PODE


Recentemente comentei no twitter que odiava o fato de eu não conseguir falar o famigerado não. Pois é, mesmo com essa minha marra toda de foda-se o mundo quando me pedem algo, eu falo sim sem pestanejar. E muitas vezes eu acabo com um peso nas costas tão grande que fico me odiando por não ter recusado na hora. Mas hey, tudo bem dizer não. Se eu vejo que estarei fazendo X coisa para agradar tal pessoa mas que é algo que me incomoda, respiro fundo e falo não. Aprendi também com uma amiga minha, a Lenny, que ser calma e simpática com as palavras faz um bem do caralho caramba. Obrigada Lenny, não só pela parceria na blogosfera mas também por sua infinita paciência e amizade.

Outono, eu te amo. ♥


GORDA VAI A PRAIA SIM. E USA BIQUÍNI TAMBÉM


Quero iniciar esse tópico aqui dizendo que "magrofobia" não existe. Só fatos. Não é segredo para ninguém que minha alto estima é uma porcaria. Posso me achar O Lacre por uns minutos mas sei que isso vai passar. Pretendo trabalhar nisso algum dia mas por enquanto tudo o que — infelizmente — só consigo enxergar é o olhar reprovador da sociedade sobre meu corpo no tamanho 42, algumas vezes, 44. Ano passado meus pais resolveram ir à praia porque estavam sentindo falta, eu estava sentindo falta. Apesar de eu ser APAIXONADA pelo dia chuvoso, sempre gostei de ir para o Litoral de Sampa. Mas o que tive que enfrentar foi minha imagem no espelho, recusei diversas vezes quando meus amigos chamaram mas não podia recusar a oferta dos meus pais. Tomei coragem, comprei um puta dum biquini lindo com a parte de cima verde a debaixo cintura alta para remeter aos biquinis vintage, sabe? Provei para mim mesma que vampiros frequentam a praia. Provei para mim mesmo que gorda vai a praia sim, e usa biquini também. E cá entre nós, foi um dia muito gostoso. Tanto que peguei insolação por não usar bloqueador solar. Esse ano voltei lá, tava um solzão medonho legal e mais uma vez ousei não ficar com a saída de banho o dia todo, me joguei na água salgada sem vergonha. Gostei disso até.

DESAPEGAR DA ADOLESCÊNCIA É NECESSÁRIO


Ta aí uma coisa que eu achei que seria fácil de acontecer mas revelou-se algo tão complicado quanto assobiar — tento fazer essa coisa até hoje —. A fase adulta exige muito da gente, dentre elas parar de depender da proteção 24h dos pais, ter que fazer nossas próprias acontecer e até suportar quando tudo parece estar desmoronando. Sabe aquele mundo incrível, por mais que tenha sido bom ou difícil na época de escola, que construímos e nos permitimos viver nele? Pois bem. Ele tem que se retirar. O quarto muda. As roupas mudam. As músicas mudam. Os tons de vozes mudam. As respostas mudam. Os rostos mudam. Até as reclamações mudam. Tudo bem usar uma meia do Batman, comprar danone do Bob Esponja e até usar umas paradas kawaii no dia a dia, mas desapegar da adolescência passa a ser necessário. Descobri isso uns 2 anos atrás. Sobrevivi. Recomendo.

GUARDAR DINHEIRO NÃO É BOBAGEM, VOCÊ PODE FAZER ISSO


Quem me conhece sabe que gasto dinheiro com uma facilidade assustadora e em quantidades absurdas. Muitas das vezes é com coisa que não vou usar — aaaaaaa —. Morar em São Paulo tem seus prós e contras, os contras é que tudo dá vontade de comprar. Mas nada é barato. Desde criança morando na cidade grande, vivia travando uma batalha para não gastar que nem loca. E isso perdura até hoje na minha fase adulta. Se não é com cinema, é com rolê gastronômico. Gente do céu que barra é essa? Mas percebi que posso fazer isso sem ficar louca querendo comprar tudo o que vejo pela frente. E vocês podem se perguntar: "Priscila, logo você formada em Marketing gastando sem parar?", exatamente, o consumismo aqui em Sampa é tão rotineiro que atire a primeira preda pedra quem resiste em não comprar itens de papelaria ou bolsas. Ou sapatos, né Bella? Inclusive, visitem o blog dela: BLONDE CHAOS.

O Equilíbrio da Força e o Frio.

TUDO BEM NÃO CORRER ATRÁS DE QUEM NÃO SE IMPORTA CONTIGO


Se tem uma coisa que nenhum ser humano está imune é do abandono de quem é/era importante para nós. Eu sei que nosso cotidiano exige muito de nossa capacidade física e emocional, muitas das vezes tudo o que conseguimos fazer depois de um dia exaustivo de trabalho ou na faculdade é tomar um baita dum banho, comer e depois dormir até o outro dia. Quem sofre com isso são as pessoas ao nosso redor, muitas das vezes não é nossa culpa e tampouco dos demais, apenas acontece. Manter contato é bom mas já pararam para pensar que se matar por x pessoa as vezes não é uma boa? Mesmo sendo a pessoa que gostamos ou até uma amizade, se belcrano quer que tenha prazo de validade, então que assim seja, não vale a pena perder o tempo que é curto demais com quem entra, bagunça e aos poucos se retira. Tudo bem não correr atrás de quem não se importa contigo, quebrei muito a cara para aprender que todos os crushs que tive sequer notavam que eu existia. Teria me polpado muita dor de cabeça se eu tivesse aprendido isso anos atrás. Não se punam por não estarem sempre presentes, quando éramos crianças era tudo mais fácil de se fazer, agora crescidos tudo é mais complicado. A responsabilidade é em dobro. Os problemas chegam como um tornado de tubarões. A locomoção fica meio que impossível. Tudo bem não ser "vamo? vamo", você não é Clark Kent, nem o Superman agrada a todos, vamos com calma ok?

PROCRASTINAR DE VEZ EM QUANDO FAZ BEM A SAÚDE


E quando estamos atolados de coisa para fazer mas parece que tudo no dia conspira para que fiquemos deitados esperando a hora passar? Pois bem, isso é necessário. Deixe a louça para o outro dia, deixe o post para outra hora, é hora de respirar e curtir esse momento para si. Aconselho fazer um bolo de coco molhado embrulhado no papel alumínio. Bem capaz de ser a única coisa que faram no dia, mas é tudo o que precisam. Terminou o doce? Beleza, grudem a raba bunda na cama, vão assistir alguma coisa — youtube, Netflix, torrents — não importa, apenas procrastinem quando o corpo pedir. Não direto porque isso não é saudável mas quando esse dia chegar, faça-o. Precisamos disso.

BLOQUEIO CRIATIVO NÃO É CRIME


Abril acabou e eu só tenho uma coisa para falar: EU TE ODEIO, BLOQUEIO CRIATIVO. Vocês não tem noção da agonia que é ficar um mês praticamente inútil sem poder criar uma coisa sequer. Eu havia colocado na cabeça que iria produzir posts novos, fotos novas, contos novos e até iria terminar a fanfic que comecei ano passado. O que fiz? Maratona de séries, procrastinei, fiquei pendurada nos stories do Alex Terrible — inclusive temo que terei dar unfollow nele porque o homi tá indo parar até nos meus sonhos, não que eu ache ruim mas né — e fiz um total de zero nadas. Olha só que beleza. Claro que não pretendo ficar nessa por muito tempo até porque tenho que entregar capítulo novo na fic ou vão me condenar a morte na fogueira mas tem vezes que só em escrever um parágrafo me dá uma dor de cabeça tão grande que dá vontade de ir lá na rua, deitar em posição fetal e chorar muito, hahaha. Meu ponto é, se isso acontecer, procurem meios para dar a volta por cima, acontece ate com George Martin, ele mesmo está enrolando com o livro novo de As Crônicas de Gelo e Fogo e  e olha que Game of  Thrones tá quase finalizando. Bloqueio criativo não é crime ok?

CAMINHAR FAZ BEM A SAÚDE


Quem me acompanha nas redes sociais sabe que determinei melhorar​ meus hábitos para ter uma saúde melhor, confesso que não anda sendo nada fácil porque estou numa batalha árdua para largar os fast foods afinal, como moro do Shopping Internacional​ daqui de Guarulhos, sou rodeada pelo Mc Donalds, Subway, Pizzarias, Churrascarias, Sushibares e uma penca de lojinha de comes e bebes. Difícil ficar saudável né? Mas não é impossível. Larguei os refrigerantes, graças a Odin, chá gelado é gostoso e faz bem. Agora meu foco é parar de jantar pizza. Mas não era só a comida que eu tinha que mudar e sim o sedentarismo. Se fosse um ano atrás eu teria pavor só em ouvir que eu teria subir a rua andando, acreditam? Agora eu não me importo se andar, inclusive me sinto bem melhor batendo perna na rua seja cantando ou conversando com alguma amiga. Percebi que emagreci e melhorei minha respiração, ajuda bastante na hora de dormir, sabiam? Para uma pessoa sedentária estou dando um grande passo vai? Comemorem comigo porque dá vontade de desistir, haha.

Aquele momento que tu tá na Serra depois de um dia de praia e sente que está prestes a entrar em Silent Hill.

DESLIGAR O NOTEBOOK NÃO É O FIM DO MUNDO


Embora eu ainda entre em desespero quando a internet cai, percebi que as horas que fico com notebook desligado enquanto cuido da minha sobrinha não era o fim do mundo. Como tenho tablet e celular sempre por perto, aquela minha neura de "Odin do céu meu computador tá desligado e eu tô perdendo o que acontece no mundo" passou, sabem? Meu sono também precisa mudar porque tem dias que fico pendurada até tarde no note que muitas das vezes o escondo nas cobertas para não levar bronca dos meus pais.

MINHA SAÚDE MENTAL É MAIS IMPORTANTE


Sabe quando tudo nos irrita? Sabe quando não conseguimos focar em determinado assunto/filme/série/música porque a cabeça tá longe? Ou quando queremos ter controle de tudo porque se não o fizermos, a vida sai dos eixos? E quando a cobrança da sociedade pesa nos ombros a cada vez que jogam na nossa cara que além de estudarmos como cavalos operários da Revolução Industrial, trabalharmos como escravos, lutar para ter uma vida social, alimentação ok, peso ideal, pele impecável, look do dia ahazo e ainda sermos lembradas que temos "idade para casar e ser mãe"? Pois bem, depois de quase ter mandado meio mundo pra puta que pariu pro inferno ou quase ter perdido metade dos meus amigos, mas eu disse not today satan "chega!", minha saúde mental é mais importante. Tudo bem não ser bem sucedido aos 20 anos. Tudo bem estarmos solteiras (os). Tudo bem ainda morar com os pais embora reclamaremos disso todo dia. Tudo bem você cuidar de você primeiro. Ninguém está na nossa pele para sentir a pressão que é ser adulto nos dias atuais. Ninguém pergunta se precisamos de um abraço apertado ou se estamos bem. Ninguém além de nós mesmo. Tem dia que eu tomo um banho, olho pro espelho e falo: "ô sua paranoica, cê tá um cy muito chata hoje hein" e só assim me dou uma pausa para respirar. Vou fazer o que eu puder mas no meu tempo, não posso forçar isso senão corro o risco de ter um derrame ou enlouquecer de vez. Com toda certeza, em 1 ano, comecei a me amar bem mais porque euzinha aqui, mereço e muito.


Como foi difícil editar isso sem envolver nada com horror/terror, comentários ácidos ou piadas sem graça — mal de sagita, não liguem —. Mas não foi impossível, podem ter certeza que tirei um peso gigantesco das costas apesar de ter enrolado muito tempo para liberar ele aqui. Mas não foi por maldade, como disse nos stories do insta, o bloqueio criativo estava me consumindo. Nem focar em filmes ou em mandar capítulo novo na fanfic estava conseguindo e olha que edito e apago aquilo direto, haha. Mas prometo parar e focar no que é certo, ok? É isso gente, perdão por não postar com a frequência certa, é tão complicado ser adulto que não sei como não ficam chorando o dia todo. Agora me respondam:

O que mudou em vocês em 1 ano?

Falem tudo aí nos comentários, vamos trocar experiências, vai ser bom conhecer um pouco de vocês aí. Não se acanhem, eu não mordo. Haha. Um beijo e um queijo. 💙

16 comentários:

  1. Priscila mudar não é fácil mas também não é impossível, todo ano eu falo comigo mesma eu preciso mudar ali, cá, a eu planejo uma coisa mas sempre dá diferente. Eu preciso mudar pequenas coisas mas não consigo, um deles é deixar o notebook um pouco de lado. Como você disse desligar o notebook não é o fim do mundo. Mas eu tento mudar já estou conseguindo aos poucos mudar uma situação em mim, se Deus quiser esse ano eu consigo mudar, Priscila bjs.

    ResponderExcluir
  2. Todo ano sai ano e entra ano a gente fala vou mudar e nunca mudamos, é difícil, quando queremos algo não é possível e também não é impossível,basta querer e acreditar !!!

    ResponderExcluir
  3. Olá lindona, a cada tópico eu via um pouquinho de mim, acho que somos uma metamorfose em movimento e crescimento a cada segundo e crescer, evoluir faz parte da vida.
    Amei esse post <3
    Beijocas.

    www.meumundosecreto.com.br

    ResponderExcluir
  4. Nossa, lendo eu vi que não to sozinha.
    ótimo post!

    ResponderExcluir
  5. Muitas coisas mudaram em 1 ano. Pessoas que eu pensava que não viveria sem, hoje em dia passam despercebidas por mim, ou nem passam. Acredito que estamos sempre em constante mudança. Basta aceitar e compreender que as coisas são como elas são.

    ResponderExcluir
  6. Essas coisas da vida que sempre nos atrapalham na escrita... estamos juntas o/. Paciência é algo que precisamos exercitar mesmo, mas é comum. O bacana é que você conseguiu ir mudando isso em você mesma aparentemente por vontade, sem perder sua essência. Isso é ótimo! Sobre o segundo tópico, eu sou o que era você kkk. Estou na arte de aprender a conversar ainda, super me identifiquei. Eu já saía arrumando briga sem querer falar, sem querer me expor. Já partia para o ataque antes de tentar entender. Eu tô me identificando TANTO com cada tópico que tô boba! Também tô aprendendo a dizer não, tô aprendendo a me aceitar melhor, aprendendo a guardar dinheiro e absolutamente tudo que foi citado nessa postagem. Eu tô boquiaberta pq senti como se eu tivesse escrito hahaha. Muito bom e libertador né? Sobre a pergunta, eu não consigo ver grandes mudanças em mim mesma em um ano. Estou nesse processo de pequenas mudanças, ainda me adaptando e vendo como me sinto melhor. O que é algo que considero bem bacana. Amei o post, bem sincero e podemos ver mais sobre vc <3

    ResponderExcluir
  7. Eu sempre digo que o tempo é rei tudo tem seu tempo certo somo como as flores não podemos florescer em uma única manhã é necessário tempo, em dias tudo pode mudar , com meses se reinventar em um ano nos descobrirmos tudo muda as vezes não como gostaríamos mas na maioria das vezes e para melhor !

    ResponderExcluir
  8. Eu adorei a proposta dessa postagem ♡ sério mesmo. Eu também nunca tive um auto-estima grande. Isso sempre foi um problema pra mim. Na verdade ainda é, por isso eu fiquei muito feliz quando você disse que conseguiu ir a Praia sem medo, eu não consegui ainda kkk em 1 ano acho que eu amadureci muito. Perdi pessoas e precisei agir como adulta bem antes de chegar nessa fase. Eu sempre me privei de agir como as pessoas da minha idade por conta dessa obrigações que me amadureceram muito cedo. Apesar disso, também estou deixando de lado a timidez e, assim como você, estou procurando ter mais paciência ♡ um passinho de cada vez, espero conseguir atingir mudanças boas também..

    O post foi muito lindo! Parabéns!

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Gostei de conhecer um pouco mais da Priscila, do antes e do agora! :) E escreves p'ra caraças!! :D (li tudinho! ;) )
    És uma miúda linda (por fora e por dentro). E crescer até que não é o fim do mundo! ;)

    Agora eu, o que mudei neste ano? Olha, nem sei. Mudei o número da vela do bolo que tinha dito não querer no meu aniversário, mas tinham que me contrariar... Gastei uns dinheiritos em tratamentos quiropráticos, que valeram a pena e eu mereço. Já era hora de quebrar aquele ciclo (dor/não conseguir fazer exercício/+ dor), dos últimos 2 ou 3 anos... Passei a pensar um pouco mais em mim tb. Eu mereço!
    E as demais coisas, vão-se mudando aos poucos. Olhar lá para trás, não 1 ano, mas uma vida, mostra-me o quanto eu já mudei. Cresci, mas sempre mantendo a alma de menina! ;)

    Beijinho grande
    Rosa

    ResponderExcluir
  10. Moça. Eu sei como se sente. :/ Eu percebi pelo estilo do blog e das postagens que seu humor é um tanto ácido, o meu é tão ácido que não consigo interagir com as pessoas. Eu sei como é sofrer e tudo isso ser visto como birra. Sempre falam ''você tem tudo''. Eu acabo mascarando com um sorriso, o cinza e o preto com cores. Adorei as dicas, principalmente a de conversar. Diálogo sempre é bom para desabafar e aliviar. E olha de nenhum jeito as pessoas agradam. Sofro bullying por ser magra, no começo eu chorava e me importava mas depois taquei o dane-se. -q E meu conselho para ti é, seja você mesma sempre, se for mudar, que essa mudança agrade a si mesma, seja sempre você mesma e será feliz!

    ResponderExcluir
  11. Oi Priscila, tudo bem?

    Toda vez que visito o teu blog saio com algo novo, seja a dica de um filme dark, de uma música ou lição. Hoje, você me proporcionou uma lição. A pessoa aqui também era bem firme em relação as mudanças, mas aí algumas pessoas foram chegando na minha vida e mudando isso, resultado: FODEU TUDO! Eu, uma pessoa fria e aparentemente sem sentimentos, virei uma menininha repleta deles e pior, que sofria por eles.
    Nesse último ano passei por muitas coisas novas na minha vida. Comecei a fazer mestrado, tive que sair da asa da minha mãe, fui enfrentar o mundo e pela primeira vez encontrei pessoas com qual não gosto, mas sou obrigada a conviver todos os dias. Nesse 1 ano, tive que crescer. Aprendi a fazer cara de paisagem, aprendi a ter paciência com o próximo, aprendi a escutar e ficar calada, aprendi a chorar sozinha, aprendi que nem sempre você vai ter aquelas pessoas ao teu lado, aprendi a deixar ir...
    Eu me vejo tanto me você. Problemas com o peso, alto estima baixa, amizades perdidas, escuridão no peito.. Estou precisando de uma amiga assim, hein?!
    Adorei o post!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Me identifiquei muito com você em relação a ter paciência. Sempre gostei de ter tudo na hora. Quando eu queria fazer algo tinha que ser na hora ou se não eu já me irritava. Era péssimo, mas ainda bem que parei com isso. Ainda tem muitas coisas que preciso mudar, mas aos poucos creio que vou conseguindo. Acho legal todo ano fazermos aquela retrospectiva pra ver aonde precisamos melhorar. Evoluir é sempre bom!

    ResponderExcluir
  13. Eu amei seu texto. Eu acredito que essa Lenny é Euzinha Aqui hahaha...Eu sou super agradecida a sua amizade e afeição. Olhe para você, tão bonita, doce e carismática. Mas poucos podem ver por que você tem o gosto E a maneira diferente de ser, as pessoas devem entender que somos pessoas com desejo e diferentes, mas somos todos feitos do mesmo material pessoas devem entender e respeitar cada um como eles são.
    Às vezes alguém aparece pedindo-me algo que eu digo não porque eu não posso honra e a pessoa ficou muito brava comigo me ofendeu

    Acabei respondendo ao seu e-mail com bastante rapidez com um pouco de defensiva, embora com moderação. Depois que eu pressionei enviar, eu me senti um pouco irritada comigo mesma por deixar isso me incomodar. Então eu percebi que este era um exercício maravilhoso em aprender a lidar com a raiva.

    É inevitável que eu me sinta dessa maneira novamente - e muitas vezes, com pessoas que conheço bem amo.
    Todos nós teremos muitos mal-entendidos e aborrecimentos, e muitas oportunidades para praticar a resposta à raiva. devemos usar a raiva de modo calma e produtiva.

    Se estamos conscientes, podemos usar essas situações para melhorar a nós mesmos e nossos relacionamentos. Amei seu texto muito obrigada pelo carinho beijo.

    ResponderExcluir
  14. Eu amei esse POST, muita coisa mudou em minha vida em um ano, muita coisa mesmo! Passei por coisas que nunca pensei que passaria, e quando achei que nada pior podia acontecer, aconteceu! Por conta disso passei a olhar a vida de uma maneira diferente e mudei bastante. Gostei muito desse POST, vou fazer um parecido em blog, se me permite! Parabéns e muito sucesso para você e seu site!

    ResponderExcluir
  15. Olá td bem?
    Primeiramente parabéns pelo post, você escreve muito bem.
    A respeito das mudanças, todo undo tem que passar por elas,algumas são boa outras ruins, vc por exemplo passou por varias
    As mudanças assustam um pouco masss no fim da tudo certo
    Beijos, blog encrespa

    ResponderExcluir
  16. Acho que todos passamos por essa fase, de achar que não estamos fazendo nada para evoluir.. Eu passo muito por isso, fico triste de ver que estou estagnada no mesmo lugar e falo para mim mesmo: "amanhã vou mudar" e chega amanhã e nada muda. Acho que tem que ser um processo de dia-a-dia, eu to tentando, tentando investir no meu blog e no canal e ver se as coisas melhoram. Gostei muito do seu texto, me identifiquei com ele em várias partes. Obrigada!

    ResponderExcluir

1. Espalhe amor, e não ofenda.
2. Diga ao Stitch, do Mushroomhead, que a boca dele está muito longe da minha.
3. Leia o post todo antes de comentar, não desvalorize o trabalho de quem criou.
4. Deixe seu bróguinho para eu visitar.
5. Assistam Black Sails, irão se apaixonar. ♥