Pipoca: Antologias de Terror

5 de abril de 2017

pipoca 5 dicas de filmes com antologias de terror
Reprodução: Stocksnap.
Comentários negativos e que não tenham a ver com o post serão apagado e o dono leva block #pas

Olár humanos, adivinha só quem tá toda feliz da vida? Calma, vou explicar por que. Claro que tem a ver com o fato de eu estar conseguindo organizar minhas metas e até cumprir algumas mas minha alegria toda é por causa do friozinho — mas infelizmente parece que tá indo embora — que anda fazendo aqui em São Paulo. Quando digo que o clima interfere no meu humor, não estou de brincadeira! Estava um calor tão, mas tão insuportável por aqui que só em acordar era dor e sofrimento. Não sou uma pessoa feita para dias quentes, sabe? Simplesmente não consigo sorrir ao acordar e ver o céu todo azul e com um baita solzão na cara. Eu gosto do frio, do vento, da chuvinha, da chuvona, dos granizos e do céu todo cinza. E como a frente fria já está dando as caras, meu humor melhora 100% e eu fico toda amorzinho. Consigo até sorrir sem ser de raiva, haha. Mas vamos ao que interessa.
Que atire a primeira preda pedra quem nunca chegou do trabalho ou faculdade, tomou aquele banho apressado, preparou algo para comer e se largou nas cobertaspara ver um filme. Não importa se é comédia, ação, drama, documentário ou musical, o que importa é cumprir essa espécie de ritual que todo amante de outono/inverno ama. É aproveitando esse momento que venho mostrar uns filmes bem firmezão para deixar o clima ainda mais gostoso de se curtir porque né, o blog Disse o Corvo não é ele mesmo se não falar de esquisitices principalmente quando se envolvem coisas para assistir. Pois bem, tratem de botar meia nesses pés gelados que cês tão parecendo cadáver em necrotério e bora lá ver o que trouxe para hoje sobre antologias de terror. Mas o que é uma antologia? Senta que lá vem stories história.
Antologia viria a ser uma coleção de contos reunidos em um lugar só como acontece na literatura. Tem antologia de Carlos Drummond de Andrade, Vinicius de Moraes, Clarisse Lispector, Álvaro de Campos, Fernando Pessoa, etc. E como não poderia ser diferente no terror, as antologias geralmente são curtas diferentes mas interligados entre si por algum motivo/pessoa e cá entre nós, adoro esse tipo de coisa. A sensação de viagem é maior e, por mais nonsense que possa parecer, a gente fica fixado na tela tentando resolver a situação antes do filme acabar. E agora eu tenho umas belezinhas para mostrar procês.

SOUTHBOUND


Blogagem Coletiva || Tag: Uma Música Que...

24 de março de 2017

Reprodução: Stocksnap.
Lembrete: Comentários que não tenham nada a ver com o post serão deletados.

Olár humanos, finalmente estou conseguindo organizar mais meu tempo e com isso tenho mais disposição para editar não só postagens novas mas sim terminar os rascunhos de 2014, arrumar as fanfics, contos e até criar coragem para voltar a editar o livro no qual tem só um trechinho no Wattpad. Melhor que isso só as tetas do Henry Cavill né mores. Mas aqui estou euzinha voltando com as postagens incríveis que o grupo mais fofíneo do facebook, o BLOGS UP. Ah, antes de mandarem solicitações para lá, já aviso que é um grupo de interação então nada de tacarem links de divulgação lá porque a Lihz e o Alef estão de olho em quem burla as regras para dar um de espertinho. Anyway, agora que começou 2017 eu prometi a mim mesma não começar coisa nova sem terminar as que acumulei fim de ano pra cá então sim, arrumar a bagunça vai ser essencial. Enfim, coloquem os fones nas orelhas e bora escutar essa tag de "Uma Música Que..." na qual tenho certeza que vou adorar responder.

Quem me acompanha no INSTAGRAM e no TWITTER sabe que sou movida a música, para cada momento meu tem uma lá indicando meu estado emocional e olha, se não fosse o poder das melodias na minha vida eu juro que já teria ligado o foudace e afundado de vez. Mas como diz o ditado "mostrar com quantas canoa se faz um pau"... Acho que não era esse o ditado... Ah sim, "quem canta seus males espanta", é. Quem canta nunca vai encher o saco, vai estar sempre de bem com a vida, com a cabeça ocupada demais cantando mentalmente para ir perturbar quem quer que seja. Esse é o poder da música. Por isso que chamo vocês para dar uma escutada aqui, bora lá.


UMA MÚSICA QUE PRECISA SER OUVIDA NO ÚLTIMO VOLUME — acharam que eu não escutava outro gênero musical fora o Metal né? Bom, acho uma exceção para as eletrônicas porque simplesmente não consigo ficar parada quando toca. E essa She Wolf do David Guetta tem que ser ouvida no último volume com a pessoa trancada no cômodo porque olha, um amor. Fora ela, qualquer Dubstep serve.

UMA MÚSICA QUE FAZ VOCÊ QUERER DANÇAR — Agradeço a dona Maria Brink por fazer esse ser aqui dançar com Adrenalize, do começo ao fim, porque é batendo cabelo e mexendo a raba o corpo porque gente, quem melhor para combinar uns pop suavinho com Metal? In This Moment, claro. Recomendo para essa pergunta também a BLOOD da banda. Só acho que a Maria deveria se juntar com a Gaga, certeza que sairia algo tão lindo que eu ia ficar dando play até o youtube me bloquear porque olha.

UMA MÚSICA QUE VOCÊ NÃO SE CANSA DE OUVIR — Não importa a situação e nem o momento, se estou lavando a louça ou se estou lendo algo, tenho que escutar Sick ou meu dia não está completo. A letra dessa música é tão profunda que me sinto completamente exposta na voz da Amy Lee, funciona como um desbloqueador de criatividade sabe? Se tô emperrada em criar algo é só dar play nessa song que surgem inúmeras ideias borbulhantes na mente. Sick é mais que uma música, Sick é meu estado de espírito todo descrito na letra afinal, sick of it all.